Bolsonaro recebe pela segunda vez candidato a procurador-geral que não integra lista tríplice

O presidente Jair Bolsonaro recebeu na noite de segunda-feira (22) o subprocurador-geral da República Augusto Aras, candidato ao cargo de procurador-geral da República.

O repórter cinematográfico Raimundo Batista, registrou o momento em que Aras deixou o Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

O encontro não constou da agenda oficial de Bolsonaro, divulgada na segunda (22) pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

Procurado,  Aras informou que não irá se manifestar sobre o encontro.

Lista tríplice

Em junho, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) elegeu a lista tríplice, com as indicações da entidade para o cargo de procurador-geral.

Augusto Aras não integra a lista. A atual procuradora-geral, Raquel Dodge, cujo mandato acaba em setembro, não disputou uma vaga na lista, mas já se disse “à disposição” de Bolsonaro para ser reconduzida.

O presidente da República não é obrigado a indicar um dos integrantes da lista eleita pela ANPR. Nos dois mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva e também nos dois de Dilma Rousseff, o escolhido para a PGR foi o primeiro da lista.

Esta é a segunda vez que Augusto Aras se reúne com Bolsonaro. A primeira aconteceu no fim de maio, antes mesmo de o presidente receber a lista tríplice da ANPR.

Aras integra o Ministério Público desde 1987 e define-se publicamente como conservador. Em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo” em abril, afirmou ser crítico da lista tríplice por entender que uma eleição interna para escolha do procurador reproduz os vícios da política partidária.

Lista tríplice

Em 5 de julho, a ANPR apresentou ao presidente a lista tríplice. O mais votado foi o subprocurador Mário Bonsaglia; a segunda mais votada, a subprocuradora Luiza Fricheinsen; e o terceiro, o procurador regional Blaul Dalloul.

Desde então, auxiliares do presidente já receberam os três candidatos para conversas. Conforme a agenda oficial, divulgada pelo Planalto, Bolsonaro não se reuniu no período com nenhum dos três integrantes da lista tríplice.

No último fim de semana, ao comentar a indicação para o cargo de procurador-geral, Bolsonaro afirmou que até 17 de agosto haverá “fumacinha branca”, numa referência à definição da escolha do Papa.

Fonte: Quidnovibrasil/G1