Lucas Kontoyanis: o dono do poder de ‘meios mandatos’

A mão de ferro do governador Ibaneis Rocha Atuando nas eleições da OAB com seu ponta de lança o advogado Lucas Kontoyanis “o Grego”

Por Mino Pedrosa

Na Capital da República um personagem inusitado autodenominado cientista político de sucesso, mas, circulando nas sombras, opera nas eleições com métodos nada ortodoxos, porém, escorrega nas sombras e deixa escapar seus modus operandi. Lucas Kontoyanis investe em candidatos com a garantia de patrocínio e votos. Em contrapartida exigi do eleito metade do poder no mandato chancelado em contratos de gavetas que amarram totalmente o afilhado (a). Sem o menor escrúpulo Kontoyanis justifica: “para uma ariranha virar deputado ou um anãozinho virar deputado tem um monte de gente atrás dele que foi somando votos pra ele chegar lá. Tá certo? é por isso que eu faço uma exigência muito importante e as pessoas não entendem. Tem gente que me critica muito porque quando eu chamo um candidato pra conversar eu digo pra ele olha tudo bem você vai vir para o meu partido, você vai vir pro meu grupo, mas, aqui é o seguinte: metade do seu poder é do grupo a outra metade é sua”. Afirma Lucas.

Ouça abaixo o áudio em que Lucas Kontoyanis explica seus modus.

             

Kontoyanis coordenou a campanha do então candidato a govenador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB-DF), entregando o Partido AVANTE sob o seu comando em troca da vice governadoria e cargos no alto escalão do governo. Após a vitória de Ibaneis exigiu do governador a interface entre o Palácio do Buriti e a Câmara Legislativa (CLDF) alegando ter poder e comando sobre pelo menos quatro deputados distritais que rezam em sua cartilha e cita como exemplo o deputado Reginaldo Sardinha (AVANTE-DF).

                Nas eleições de 2018 o “Cientista” exigiu que os candidatos assinassem um documento cedendo 50% do poder de seus mandatos o que provocou uma debandada de pré-candidatos do AVANTE por não concordarem com a camisa de força imposta por Kontoyanis. Alguns desses dissidentes como: Professor Jordenes, Dedé Roriz, Sargento Jabá e Professora Sihami procuram refúgio no Partido Trabalhista Brasileiro, presidido pelo ex-presidente da CLDF Alírio Neto.

A manobra ardilosa de Kontoyanis vai além dos mandatos de políticos. Hoje coordenando a chapa “Você na Ordem” que tem Thaís Riedel como postulante a presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seccional DF nas eleições de 2021 que está marcada para o próximo domingo. Nessa nova empreitada Lucas Kontoyanis se utiliza dos mesmos modus operandi do toma lá dá cá praticados na política. Arquitetou a desistência de Aline Marques arrebanhando o grupo com a promessa de benesses e cargos na vitória de Thaís Riedel garantindo que cumpre o que promete. Abaixo o relato das negociatas em áudio.

A chapa de Thaís tem a mão de ferro do governador Ibaneis Rocha, verdadeiro dono da chapa que substituiu Everardo Gueiros (Vevé), livrando-o de uma campanha estilhaçada por seu telhado de vidro e da convocação de seu sogro o lobista Kenekky Braga pela CPI da Covid19 em razão de irregularidades nos hospitais de campanha. A vitória desse grupo representa a intervenção política dentro da OAB transformando a Ordem em um puxadinho do Palácio do Buriti.

Criminalistas ouvidos pela redação do Quidnovibrasil apontam vários crimes nos modus operandi de Lucas Kontoyanis como: abuso de poder econômico, compra de votos, malversação de verbas públicas, tráfico de influência entre outros colocando em risco a perda do mandato do candidato eleito. Na tentativa de amordaçar a imprensa na reta final para as eleições da OAB, Lucas Kontoyanis com sua vasta experiência advocatícia e coordenador da chapa de Thaís Rídel, impetrou uma representação com pedido de liminar para a comissão eleitoral da OAB usando o também experiente advogado Rodrigo Queiroga. O pedido da manobra consiste em evitar a publicação de matérias citando membros da chapa de Thaís Rídel e o próprio Lucas Kontoyanis. No entanto, parece não ter se atentado que o foro é inadequado.

Após o rompimento com o vice-governador do Distrito Federal, Paco Brito que preside o AVANTE, Kontoyanis rapidamente se mexeu comprando o Partido da Mobilização Nacional (PMN) e assumiu a presidência a fim de executar seu projeto de poder nas próximas eleições. O “Grego” como é intimamente conhecido se exalta de ter elegido dois deputados em um partido considerado nanico além de mais dois em partidos tido como grandes. Ou seja, o que manda é a “articulação” e para quem deseja emplacar sob a liderança de Grego já tem que ter ciência: “é melhor ter 50% de alguma coisa que 100% de nada”.