“Bonitinha, mas, ordinária”: o preço do toma lá dá cá

Por Mino Pedrosa

O diálogo devastador entre dois assessores da deputada distrital Jaqueline Silva (PTB-DF) retrata os modos operandis da deputada na troca de apoio ao Governo do Distrito Federal (GDF). Os cargos oferecidos pelo governador, Ibaneis Rocha (MDB-DF), garantem ao parlamentar contemplado propinas que lesam os cofres públicos.

Daniel de Abreu Corrêa, assessor da deputada Jaqueline, membro da direção do Partido Trabalhista Brasileiro no Distrito Federal, convida Wallace Soares Nazário a montar um esquema corrupto na Secretaria de Cultura, precisamente no Conselho do FAC da Secretaria de Cultura que segundo ele é responsável pelo gerenciamento de todos os recursos da pasta. A deputada Jaqueline rapinou o mandato da ex deputada Telma Rulfino (PROS-DF), com uma manobra no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), falsificando documentos após uma derrota acachapante de seis votos a zero no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Alírio Neto ex-presidente do PTB-DF, confessou a fraude aplicada pelo Partido no TSE para beneficiar Jaqueline Silva que ocupa uma cadeira na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF).

O perfil político da deputada revela o comportamento de uma parlamentar “bonitinha, mas, ordinária”. No Diálogo gravado em que o site www.Quidnovibrasil.com traz com exclusividade, o assessor ponta de lança da deputada, Daniel Correa, atua como porta voz da deputada convidando Wallace Soares para assumir um cargo de conselheiro e trabalhar junto a empresários com a intenção de “fazer uma caixa financeiro” para bancar a campanha de reeleição da deputada distrital em 2022. Daniel Correa assessor presente em todas as negociatas praticadas pela deputada e credenciado por ela para atuar fortemente na arrecadação de recursos que ajudem a financiar a campanha política.

No diálogo gravado Daniel oferece um salário de R$ 3.000,00 pela participação em duas reuniões mensais no conselho e mais uma complementação de salário na participação de arrecadação criminosa de propinas pagas com o dinheiro público da secretaria. A gravação, segundo o perito da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Ricardo Molina está muito próxima a um dos interlocutores garantindo a legalidade da gravação junto aos órgãos de justiça.

O Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT), já tem em mãos a gravação revelada com exclusividade pelo site www.Quidnovibrasil.com e já investiga o conhecido toma lá dá cá praticado nos cargos da estrutura do GDF por troca de votos que favorecem o governo nas votações na CLDF. Jaqueline Silva recentemente se pôs contrária a reeleição do presidente Rafael Prudente na Câmara Distrital, mas, o áudio devastador revela os modos operandis da deputada e o custo do apoio para a reeleição de Prudente. A reação da deputada em abandonar a oposição e se bandear para os braços de Prudente chancela o perfil de mais uma vez “bonitinha, mas, ordinária”.

Ouça abaixo o áudio na íntegra:

Nos bastidores também foi oferecido para a deputada Jaqueline Silva a Comissão de Constituição e justiça (CCJ), a mais importante da CLDF na contrapartida por seu voto em apoio a reeleição do Presidente.

Pelo visto, o governador Ibaneis Rocha, investe forte na vitória de Rafael, abrindo os cofres do governo para garantir um voo em céu de brigadeiro na Câmara Distrital. Tudo isso faz parte de uma política degradante que passa pelas mãos dos caciques de administram Brasília. Vale lembrar que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) tornando ilegal a reeleição no Senado e na Câmara Federal, se estende também para a CLDF judicializando a eleição que pode cair no colo da oposição ao governo de Ibaneis Rocha.