Turma da Mônica saiu do gibi para ganhar o cinema

Os quadrinhos da Graphic MSP preencheram um vazio na produção nacional e ainda ajudaram a divulgar quadrinistas independentes. Muitas crianças começam a ler gibis, mas depois que crescem acabando deixando o hábito de lado. E para reconquistar esse público, a Mauricio de Sousa Produções convida grandes artistas para trabalharem nos famosos personagens da Turma da Mônica. O sucesso é cada vez maior, e a partir de 2019 vai sair do papel. O Filme “Turma da Mônica – Laços” é inspirado em uma dessas histórias e vai estrear nos cinemas em junho de 2019. E o Astronauta terá uma animação produzida pelo canal fechado HBO, será a primeira série animada do canal feita no Brasil.

Para Sidney Gusman, editor responsável pelo projeto, desde o começo a ideia era tirar a Turma da Mônica do papel e alçar voos maiores. “É tudo bem planejado, quando o selo nasceu a ideia era que o projeto não ficasse somente no papel. A minha preocupação é montar roteiros que possam ser adaptados para outras mídias. E isso está acontecendo, acho que vamos ver bastante Graphic MSP fora do papel”, diz Sidney Gusman.

Mauricio de Sousa durante entrevista na CCXP

Mauricio de Sousa durante entrevista na CCXP

foto por Guilherme Pereira

Grande fã de histórias de aventura, Mauricio de Sousa, precisou pensar muito antes de liberar suas criações para outros artistas. “Estou entregando meus filhos para outros cuidarem, mas efetivamente eu acho que dar essa liberdade criativa, ou confraternizar de alguma maneira, nos faz trabalhar e pensar juntos, agora nós seremos a novidade. Cada um tem uma cultura, um aprendizado e uma cabeça. O personagem vai enriquecer com isso”, finaliza.

Durante uma entrevista, na Comic Con Experience 2018, Mauricio de Sousa ainda revelou a importância dessa linha de produtos hoje. “Os grandes artistas que estão trabalhando nisso tornaram nossa linha de Graphics um sucesso. Talvez o maior sucesso gráfico do nosso estúdio hoje. Fico feliz com isso”, diz Mauricio com um sorriso no rosto.

Como os quadrinhos são produzidos

Filme será adaptação do quadrinho Turma da Mônica - Laços

Filme será adaptação do quadrinho Turma da Mônica – Laços

Lu e Vitor Cafaggi

Os personagens da turminha sempre estarão ligados ao universo infantil de alguma forma, tudo que leva o selo Mauricio de Sousa, em algum momento pode cair na mão de uma criança. Então, o cuidado é grande para que os quadrinhos do selo Graphic MSP não passem do limite. Por isso, Mauricio deixou todo o trabalho para um editor de confiança. “Para que não haja exageros têm o Sidney Gusman que acompanha tudo e se tiver desvios no desenvolvimento das histórias ele interfere. E tem dado certíssimo, o Sidney sabe escrever com meu estilo e pensa como eu. É o editor que eu precisava na vida. Eu vi o conhecimento dele em histórias em quadrinhos e vi que podíamos fazer uma dobradinha que daria certo, e deu”, explica Mauricio de Sousa.

Sidney procura talentos por todo o país, escolhe o artista e o personagem que ele vai trabalhar e na maioria das vezes o tema da história. Foi assim com Rafael Calça e Jeferson Costa que criaram “Jeremias Pele”, um dos lançamentos recentes do selo. Um personagem complicado e que precisou ser criado do zero. “O Jeremias é um personagem que não tinha bagagem, ele é figurante, não é nem coadjuvante. Então, não tinha uma história por trás dele como os outros da Turma da Mônica. A única coisa que a gente tinha era o boné vermelho que ganhou do avô”, explica o desenhista Jeferson Costa.

Rafael Calça foi o responsável pelo roteiro, a história mostra uma criança negra lidando com racismo pela primeira vez na vida. “Nos inspiramos nas nossas próprias histórias, a gente conversou muito sobre situações comuns que as pessoas negras passam. Principalmente as crianças, para se entender como negro e entender seu lugar no mundo, assim como Jeremias. Foi um trabalho muito pessoal e não tanto de inspiração no trabalho original”, conta Rafael Calça.

Jeremias Pele foi um dos maiores sucessos de 2018

Jeremias Pele foi um dos maiores sucessos de 2018

Rafael Calça e Jeferson Costa

Um trabalho diferente do que foi feito por Lu Cafaggi e seu irmão Vitor Cafaggi, os dois produziram a trilogia da Turma da Mônica. As histórias são recheadas de referências aos gibis clássicos, quem lê com atenção consegue encontrar vários easter eggs nos três quadrinhos. “Foi de memória mesmo, não fizemos pesquisa nenhuma, fomos só lembrando das histórias que liamos na infância e vendo o que encaixava com a história e colocando para ser um algo a mais. E quem é fã mesmo percebe essas coisas”, conta Vitor Cafaggi.

Laços será a primeira história a virar filme e conta um grande elenco, e foi a maior conquista do selo Graphic MSP até agora. “Foi uma surpresa, desde o início a gente imaginava como seria um filme da Turma da Mônica e é isso que a gente queria fazer. Mas a gente não imaginava realmente que isso poderia virar um filme. Tudo que está sendo relacionado a esse filme está incrível”, diz Vitor Cafaggi.

E durante a entrevista, Mauricio de Sousa, deixou no ar a possibilidade de outras adaptações para o cinema. “Esse é o primeiro e vem mais”.

Lançamentos 2019

Durante um painel na Comic Con 2018, quatro novos quadrinhos foram anunciados:

Mônica 2, por Bianca Pinheiro.

Piteco, por Eduardo Ferigato.

Tina, por Fefê Torquato.

E Capitão Feio 2, por Magno e Marcelo Costa.

Capitão Feio ganha sequência em 2019

Capitão Feio ganha sequência em 2019

Magno e Marcelo Costa

Segundo os autores, para conseguir uma continuação é preciso da aceitação do público. Foi o que aconteceu com Capitão Feio, o primeiro volume foi sucesso de público e crítica. E para chegar nesse nível o trabalho de pesquisa foi intenso. “Eu fui em sebos, comprei na internet, comprei por vários sites histórias antigas, tudo que tinha o Capitão Feio eu ia atrás. Eu fiz uma garimpagem. Eu li as histórias, assisti vídeos até eu saber quem ele era de verdade, eu queria saber quase tudo dele para depois começar a nossa história. Graças a essa pesquisa eu consegui desenvolver a história que eu queria”, conta Magno Costa.

O volume dois também precisa ser um sucesso, já que está nos planos dos autores formar uma trilogia do Capitão Feio. “No primeiro eu já fiz deixando pontas soltar para o segundo, eles são quase ligados. Quando você está contando a história do passado dos personagens você pode fazer evoluções. É impossível pensar no Capitão Feio sem ser em uma trilogia”, diz Marcelo Costa.

Veja lista completa de todos os quadrinhos do selo Graphic MSP

A Graphic MSP surgiu de um projeto que teve início em 2009, o livro MSP 50, produzido para comemorar os cinquenta anos de carreira de Mauricio de Sousa. Com o sucesso, vieram depois mais dois livros: o MSP + 50 (de 2010) e MSP Novos 50 (de 2011). Em seguida artistas pegaram os personagens e criaram histórias maiores:

Astronauta – Magnetar – Danilo Beyruth e Cris Peter
Turma da Mônica – Laços – Lu e Vitor Cafaggi
Chico Bento – Pavor Espaciar – Gustavo Duarte
Piteco – Ingá – Shiko
Bidu – Caminhos – Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho
Astronauta – Singularidade – Danilo Beyruth e Cris Peter
Penadinho – Vida – Paulo Crumbim e Cristina Eiko
Turma da Mônica – Lições – Lu e Vitor Cafaggi
Turma da Mata – Muralha – Artur Fujita, Davi Calil e Roger Cruz
Louco – Fuga – Rogério Coelho
Papa-Capim – Noite Branca – Marcela Godoy e Renato Guedes
Mônica – Força – Bianca Pinheiro
Astronauta – Assimetria – Danilo Beyruth e Cris Peter
Bidu – Juntos – Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho
Chico Bento: Arvorada – Orlandeli
Capitão Feio – Magno e Marcelo Costa
Turma da Mônica: Lembranças – Lu e Vitor Cafaggi
Jeremias – Rafael Calça e Jefferson Costa
Horácio – Fabio Coala
Cebolinha: Recuperação – Gustavo Borges
Astronauta: Entropia – Danilo Beyruth

 

 

Fonte: Quidnovibrasil/R7