Polícia faz operação em empresa que vende respiradores

Com apoio da Polícia Civil do Distrito Federal, a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP/BA) coordena a operação Ragnarok, que prendeu três pessoas e cumpre 15 mandados de busca e apreensão, na manhã desta segunda-feira (1º/6), contra uma empresa suspeita de vender respiradores hospitalares e nunca entregar. O equipamento é essencial para pacientes graves da covid-19.

A operação foi deflagrada após o Consórcio Nordeste denunciar que comprou com a empresa — que se apresenta como revendedora — 300 respiradores, mas que eles nunca foram entregues. Além do DF, as ordens judiciais são cumpridas em Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro

As investigações da Polícia Civil da Bahia apontam que a empresa tentou negociar de forma fraudulenta com vários setores no país, entre eles os Hospitais de Campanha e de Base do Exército, ambos em Brasília.Continua depois da publicidade

Segundo a SSP-BA, mais de 150 contas vinculadas ao grupo foram bloqueadas. A ação é coordenada pela Superintendência de Inteligência e conta também com a participação do Ministério Público da Bahia. 

Fonte: Quidnovibrasil/Correio Braziliense