Exclusivo: Comprovada documentação falsa de Eurípedes Filho pela Polícia Federal e MPF

Por Josiel Ferreira e Maurício Nogueira

Atualmente, milhares de cidadãos honestos lutam para limpar o nome. Por circunstâncias ou reveses entraram no cheque especial, mas não conseguem dormir direito por que o nome consta no Serasa. Isso é zelar pelo nome, ou popularmente, manter o nome limpo.

Em contrapartida, diversos políticos na busca cega pelo poder dentro do partido, apostando alto na impunidade, muitas vezes atravessaram a linha da legalidade. De acordo com o  que vem apurando o MPF e o PF o ex-presidente do PROS, Eurípedes Gomes de Macedo Júnior pode ter ultrapassado o limite da lei.

Um nome a zelar é o de Eurípedes Júnior. Ao que se constata em investigação da Polícia Federal e pelo Ministério Público por uso de documentos falsos. São três nomes, três números de RG e três de CPF diferentes.

Além do original, Eurípedes Gomes de Macedo Júnior, cuja filiação é de Maria Aparecida dos Santos e Eurípedes Gomes de Macedo há mais dois. São eles em nome de: Eurípedes George Junior o qual consta no RG ser filho de Maria Aparecida George Gomes e Eurípedes Gomes de Macedo. E, por fim, Eurípedes George Macedo Júnior, que no documento se lê filho de Maria Aparecida Macedo dos Santos e Eurípedes George Macedo.

Os locais de emissão dos documentos são diferentes também. Em um deles a emissão foi no Distrito Federal, outro no estado o Mato Grosso do Sul e o terceiro em Goiás.

A Polícia Federal realizou laudo pericial papiloscópico cujo número do documento é 082/2018. O exame é de “Confronto de Impressões digitais em Documentos” e foi realizado em 1º de outubro de 2018. Ou seja, todos os documentos periciados confirmaram que as impressão são do ex-presidente do PROS.


Laudo Pericial Papiloscópico em documento nº 082/2018 GID/DREX/SR/PF/DF – Veja documento completo abaixo:

“Com base nas análises descritas, conclui a signatária, em relação às impressões digitais apostas nos documentos descritos que:

O polegar direito do item I-A possui pontos característicos coincidentes com a impressão dos polegares direito apostas nos documentos descritos nos itens I-B e I-C. No anexo I, a título de ilustração técnica, segue a demonstração da marcação de doze pontos característicos coincidentes entre as impressões, comprovando que foram produzidos pela mesma pessoa.”

De acordo com o Ministério Público Federal, após a perícia nos documentos realizada em 2018, que “há fortes indícios de que o Presidente Nacional do PROS, Eurípedes Gomes de Macedo Júnior, faça uso de documentos falsos, pelos próprios documentos aos quais o Ministério Público teve acesso”.

Ele é acusado de utilizar o dinheiro público para a compra de um helicóptero, mansões, um avião bimotor e de contratar funcionários terceirizados por meio de empresas de parentes com o dinheiro público.

O MPF investiga quatro denúncias contra Eurípedes. Uma tem como foco o helicóptero da fabricante Robinson, modelo R-66, prefixo PP-CHF, avaliado em R$ 2,8 milhões, que é utilizado para os deslocamentos do ex-vereador da cidade de Planaltina de Goiás, local onde o PROS foi fundado, até uma casa que era usada pela legenda, no Lago Sul.

O partido, criado em 2013, tem cinco deputados. Até hoje recebeu mais de R$ 35 milhões do fundo partidário. Eurípedes mantém duas casas em Planaltina, e uma gráfica que também pertence ao partido, de acordo com denúncias de ex-funcionários. Segundo foi apurado, motoristas do transporte irregular, que prestavam serviço para ele, foram usados para recolher assinaturas na região para a criação do PROS. Além de ser acusado de fraudar documentos para convocação de assembleias extraordinárias.

Em outro caso de envolvimento com a Justiça, Eurípedes é acusado de agredir fisicamente a própria filha na sede da sigla, em Planaltina de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Ele foi indiciado pela Polícia Civil de Goiás por lesão corporal.Procurado o ex-presidente do PROS não quis se manifestar. Contactado o advogado de defesa, a pedido de Eurípedes, ele pediu para que encaminhássemos perguntas por WhatsApp, o que foi feito às 10h56 desta sexta-feira (24) e até às 15h06 não houve retorno de três questões. Até o momento da publicação não houve respostas por parte da defesa do presidente afastado da presidência do PROS. O Tudo OK Notícias tentou ouvir o outro lado.  E, como sempre, está aberto a Eurípedes Júnior a se posicionar.Confira os documentos aos quais o Tudo OK Notícias teve acesso na galeria abaixo:1 de 2  

euripedes são 4 e não 3
euripedes são 4 e não 3

Fonte: Tudo OK Notícias