Médico condenado por estupro de vulnerável é preso em clínica de saúde pública no DF

Um médico de 53 anos, que atua na rede pública de saúde do Distrito Federal, foi preso na última segunda-feira (5) enquanto cumpria expediente em uma clínica, em Taguatinga. Segundo testemunhas, o servidor deixou o local algemado.

Uma funcionária, que preferiu não se identificar, contou que as consultas agendadas com o profissional estão sendo remarcadas. Gilmar Pereira Falcão foi condenado em segunda instância por estupro de vulnerável e a Justiça determinou o início do cumprimento da pena.

A prisão ocorreu na Unidade Mista de Saúde. De acordo com a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), o médico foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP), na Papuda.

O G1 ligou para a advogada cadastrada como representante do médico e ela informou que um colega retornaria o contato. No entanto, até a publicação desta reportagem, a defesa não se pronunciou. O espaço está aberto para manifestação.

Condenação

O mandado de prisão contra o servidor foi expedido pelo juiz Valter André de Lima Bueno Araújo, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal (VEP), no dia 24 de junho.

Segundo a ordem, o médico foi condenado a pena de 10 anos e 11 meses de prisão, em regime inicialmente fechado. De acordo com a Sesipe, “por motivos de segurança, o custodiado está separado da massa carcerária”.

Questionada pela reportagem, a Secretaria de Saúde do DF confirmou a prisão. Em nota, a pasta disse que “o servidor foi preso por questões pessoais, que não são do conhecimento da Secretaria de Saúde”. O processo corre em segredo de Justiça.

Fonte: Quidnovibrasil/G1