Corpo de mulher é encontrado na tubulação da Caesb

Investigadores da 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) divulgaram informações sobre um novo caso de feminicídio no Distrito Federal. Por volta das 12h30 de segunda-feira (13/5), policiais civis encontraram um corpo em avançado estado de decomposição em uma tubulação próxima a uma invasão conhecida como Chácara Santa Luzia. A vítima trata-se da ambulante Maria de Jesus do Nascimento Lima, 29 anos.
A apuração levou ao companheiro da vítima, Henrique Farley Carneiro de Almeida, 36, que confessou o crime. Depois de esfaquear Maria de Jesus na casa onde eles moravam, na área irregular, o agressor colocou o corpo dela em um carrinho de compras e o jogou em uma manilha de esgoto nas proximidades. Com esse caso, já foram registrados mais de 10 feminicídios no DF este ano.
Funcionários da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) que trabalhavam na tubulação encontraram o corpo de Maria de Jesus e informaram os agentes da 21ª DP. Henrique Farley foi preso em flagrante na segunda-feira (13). Após ser confrontado com as provas, ele confessou o crime. A faca usada para matar a vítima foi apreendida e o envolvido, autuado em flagrante por ocultação de cadáver. Ele será indiciado por feminicídio e segue detido na carceragem da PCDF.
Vítima deixou mensagens denunciando o companheiro(foto: PCDF/Divulgação)
Vítima deixou mensagens denunciando o companheiro(foto: PCDF/Divulgação)

O casal não tinha filhos e estava junto há cerca de dois anos. A polícia não informou há quanto tempo os dois moravam na invasão, mas, segundo o delegado-chefe da 21ª DP, Luiz Alexandre Gratão, os dois mudavam de casa frequentemente. Vizinhos afirmaram à polícia que brigas eram constantes entre o casal. Na casa deles, os investigadores encontraram mensagens nas paredes, segundo a polícia, deixadas pela vítima. Nas imagens, é possível ler frases como “Culpado. O Henrique me matou” e “Eu te odeio”.

Maria de Jesus havia registrado ao menos três ocorrências contra o companheiro por recorrentes casos de violência doméstica. Entre os casos, havia relatos de injúria, ameaça e lesão corporal. Segundo a Polícia Civil, em 27 de maio, o agressor disse que Maria de Jesus seria a próxima vítima de feminicídio da cidade.
O delegado Luiz Alexandre Gratão acrescentou que Henrique Farley estaria tentando deixar o DF desde que cometeu o crime. “O que conseguimos apurar é que ele tentava fugir do DF. E ele disse que deu uma facada, mas apenas o laudo vai dizer”, detalhou. A previsão é de que o documento seja liberado pelo Instituto de Medicina Legal (IML) em 30 dias.
Fonte: Quidnovibrasil/Correio Braziliense