Cabeças na bandeja: à força oculta e o peito de aço do secretário

Secretário Anderson com Sheyla

Por Mino Pedrosa

“Água mole em pedra dura tanto bate até que fura” foi o ditado aplicado pelo Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Gustavo Torres, no convívio turbulento com a comandante geral da Policia Militar do DF (PMDF) coronel Sheyla Soares Sampaio e o chefe da Casa Miliar, Coronel Marcus Kobldt. Na manhã desta terça-feira, (06), a tensa reunião entre eles fez Anderson demitir sumariamente e levar na bandeja as duas cabeças para o governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB).

O padrinho de Sheyla Sampaio e a madrinha de Anderson se movimentaram nos bastidores para convencer o governador a voltar atrás da decisão tomada pelo secretário. O que acontece de fato é o desgaste que a comandante e o chefe da casa militar vem sofrendo na Corporação e junto à Ibaneis dando margens que fortalecem a decisão tomada pelo secretário.

A toda poderosa comandante chegou ao comando com o apoio integral do governador, enfrentando tudo e todos os estrelato militares. Hoje, Anderson mostra poder e peito de aço com a madrinha poderosa que dá sustentação a ele no cargo. O governador Ibaneis reza na cartilha o velho ditado “se quer conhecer o vilão, põe-se uma vara na mão”. A demissão da comandante e do chefe da Casa Militar será irreversível e mais uma vez Anderson demonstra que tem costas quentes e madrinha poderosa.

Férias forçada: comandante Sheyla Sampaio

Nota da ex-comandante