BRB: as duas caras da moeda do presidente

Por Mino Pedrosa

“Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”, esse é o lema usado sob a batuta do governador de Brasília Ibaneis Rocha (MDB-DF).  A algum tempo uma sequência de denúncias sobre o Banco Regional de Brasília (BRB) fizeram acender as luzes e mostraram um forte esquema comandado pelo senador Ciro Nogueira, presidente do Partido Progressista (PP). O apoio do partido foi fundamental para a vitória de Ibaneis na eleição para governador. Em contrapartida Ibaneis fatiou o bolo e entregou o comando do BRB para o senador piauiense que indicou Paulo Henrique Bezerra Rodrigues Costa para a presidência do banco.

Ciro também comanda um forte esquema na área de saúde. Emplacou o ex-ministro da saúde Gilberto Occhi, padrinho de Paulo Henrique, na Caixa Econômica Federal (CEF) como Presidente da Terracap (Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal). Aliás padrinho é o que não falta para Paulo Henrique que é primo do Ex-ministro da Intetragação Nacional do Brasil, Fernando Bezerra Coelho, atualmente senador pelo MDB partido de Ibaneis Rocha.  Também foi indicação de Ciro Nogueira o nome do atual secretário de saúde, Osnei Okumoto e toda a sua equipe. O que Ibaneis, não sabia é que o bancário administrador do BRB, oriundo da CEF, também atua fortemente na área de saúde com consultorias e vendas de equipamentos juntamente com seu pai, Paulo Roberto Santos Rodrigues Costa.

Senador Ciro Nogueira indica Gilberto Occhi para a Terracap/ DF

No Ministério da Educação, a empresa CONSULT MEDIC ASSISTÊNCIA E SERVIÇOS MÉDICOS S/A de propriedade da Família Rodrigues Costa abastece os hospitais universitários. Sócio na empresa está Mário Márcio que é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal (PF) por suspeita de lavagem de dinheiro. Mário Márcio, segundo investigadores, tem 76 empresas e mais de 200 sócios, e, por isso, estão passando um pente fino em todos os contratos realizados pela empresa da família de Paulo Henrique.

Apesar de bancário, em 2017 o atual presidente do BRB, também por indicação de Ciro Nogueira, assumiu a vice-presidência da EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), com orçamento anual bilionário. O que o MPF investiga é se houve favorecimento e contratações de empresas ligadas direta ou indiretamente ao seu pai durante sua gestão. Até agora, Ibaneis Rocha vinha levando todos esses levantamentos em banho-maria, mas, ao pé do ouvido o governador já admite que Paulo Henrique não passa do próximo mês.

No entanto, Ibaneis não pretende se indispor com o senador progressista que é alvo na Operação Lava Jato.  As investigações vão fazer o banho-maria ferver.